ANÁLISE-Mais uma vez, Romney tem vitória insuficiente nos EUA

O pré-candidato Mitt Romney sobreviveu a mais uma experiência de "quase morte" na sua campanha, mas uma vitória apertada em Ohio e cinco outros Estados da "Superterça" não bastaram para afastar as dúvidas que cercam o favorito para receber a indicação republicana à presidência dos Estados Unidos.

JOHN WHITESIDES, REUTERS

07 Março 2012 | 09h18

Ohio era o mais importante Estado em disputa na terça-feira, e a vitória de Romney sobre Rick Santorum o deixou um passo mais próximo da indicação republicana, impedindo uma dramática reviravolta no processo.

Mas a escassa margem da sua vitória em Ohio e as derrotas no Sul mostraram que Romney está indo mal nos seus esforços para seduzir os conservadores, cristãos evangélicos e eleitores operários numa corrida que deve se estender até o final de abril ou depois.

E, do ponto de vista de Romney, as próximas semanas não devem trazer boas notícias. A próxima etapa da disputa, no sábado, é o caucus (assembleia eleitoral) do Kansas, um Estado conservador, onde Santorum, um católico praticante, conservador em causas sociais, deve ir bem.

Na próxima terça-feira, o foco migra para o sul conservador, onde Romney, ex-governador de Massachusetts, não tem ido bem. Mississippi e Alabama farão primárias nesse dia.

A "Superterça" deu aos adversários de Romney razões para continuar na disputa: Santorum, ex-senador da Pensilvânia, ganhou em Oklahoma, Tennessee e Dacota do Norte, e Newt Gingrich venceu na Geórgia, Estado por onde foi deputado.

Mas Romney continua à frente na contagem de delegados da convenção nacional republicana comprometidos com a sua candidatura. Em certo sentido, ele está na situação de um pugilista incapaz de nocautear o adversário, mas que se encaminha para vencer a luta por pontos.

"A boa notícia para Romney é que ele ainda é o favorito", disse o republicano Dan Schnur, que foi assessor da frustrada pré-candidatura presidencial de John McCain em 2000. "A má notícia é que as dúvidas sobre a sua candidatura só vão se fortalecer."

Além de Ohio, Romney também venceu em Massachusetts, Vermont, Virgínia, Alasca e Idaho.

Mas as pesquisas de boca de urna em Ohio mostram que Romney, ex-executivo do setor financeiro que enfatiza em sua campanha os temas econômicos e a geração de empregos, não avançou junto aos eleitorados proletário e conservador.

Apenas 22 por cento dos eleitores de Ohio acham que Romney é o candidato que mais entende seus problemas, enquanto 31 por cento veem Santorum assim.

Romney, que nas últimas semanas citou o fato de sua esposa ter dois Cadillacs e de ele ser amigo dos donos de equipes da Nascar, está perdendo terreno na identificação com os eleitores.

Há um mês, quando ele ganhou a primária da Flórida, 34 por cento dos eleitores naquele Estado achavam que Romney era o candidato que mais compreendia seus problemas, segundo pesquisa de boca de urna da CNN.

O ex-governador também perdeu de Santorum entre eleitores que ganham até 100 mil dólares por ano e os que se consideram muito conservadores. Ele havia ido ligeiramente melhor entre os conservadores na Flórida e em Michigan, na semana passada.

"Romney não acabou com nenhuma das dúvidas sobre a sua candidatura nem respondeu a nenhuma das perguntas", disse o estrategista republicano Matt Mackowiak.

"Todas as preocupações sobre Romney que existiam antes desta noite continuam. E, por causa disso, a corrida continua. Romney claramente tem a pista interna para a indicação, mas não está liquidando o assunto, e não está criando entusiasmo."

Mais conteúdo sobre:
EUAELEICOES ANALISE SUPERTERCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.