Anatel monitora TIM e pode tomar medidas, diz fonte

A área técnica da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) está analisando a situação da qualidade dos serviços da operadora TIM Participações e pode anunciar eventuais punições na semana que vem, disse à Reuters uma fonte da agência reguladora nesta sexta-feira.

Reuters

13 de julho de 2012 | 17h59

A decisão de punir ou não a empresa depende do que a área técnica da Anatel concluir. Eventuais penalidades poderiam ir de um compromisso para aumentar a qualidade a uma multa, chegando, no limite, à suspensão de novas vendas, segundo essa fonte, que falou sob condição de anonimato.

A Anatel identificou alta expressiva de reclamações sobre a qualidade do serviço da TIM nos últimos meses, acrescentou a fonte.

"A Anatel está fazendo um acompanhamento com a fiscalização e também através dos seus canais de verificação da qualidade. Está fazendo uma apuração para ver quais medidas podem ser tomadas", disse a fonte, sublinhando que as eventuais decisões serão "tecnicamente embasadas".

Na quinta-feira, as ações da TIM, segunda maior operadora móvel do Brasil, tiveram forte queda em repercussão a declarações do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo de que as vendas da empresa poderiam ser suspensas por problemas de qualidade dos serviços.

Segundo o próprio ministro, porém, a suspensão das vendas só seria adotada como último recurso.

Para a fonte da Anatel, as declarações de Bernardo sobre a TIM servem também de alerta às demais empresas do setor de telecomunicações. "A sinalização é de que a agência e o Ministério das Comunicações não vão aturar problemas na qualidade."

Em resposta às declarações do ministro, a TIM publicou nota na mesma quinta-feira afirmando que cumpre as orientações da Anatel no que se refere à qualidade.

Segundo dados do site da Anatel, em março a TIM ocupava o terceiro lugar no ranking de reclamações, com 0,294 reclamações por mil acessos em serviço. Em fevereiro, a empresa tinha 0,260 reclamações por mil acessos.

A TIM retomou a vice-liderança do mercado brasileiro de telefonia móvel em agosto passado. Em nove meses, já abriu uma diferença de quase 6 milhões de clientes para Claro, agora terceira, e se aproximou da líder Vivo, da Telefônica Brasil.

A TIM tinha no fim de maio, dado mais recente disponível, 68,5 milhões de assinantes, contra 75,5 milhões da Vivo. A Claro, do grupo mexicano América Móvil, estava com 62,7 milhões de clientes.

As ações da TIM recuperaram parte das perdas da véspera nesta sexta-feira, com alta de 2,04 por cento, cotadas a 10 reais.

(Por Leonardo Goy)

Tudo o que sabemos sobre:
TELECOMANATELTIMMEDIDAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.