Andréia telefona para a família após desembarcar em SP

A cafetina brasileira Andréia Schwartz, de 33 anos, chegou hoje ao Brasil, deportada dos Estados Unidos, onde cumpriu 18 meses de prisão por exploração da prostituição, posse ilegal de drogas e lavagem de dinheiro. A brasileira, que desembarcou de manhã em São Paulo, foi ainda apontada como testemunha-chave na investigação de outra rede de prostituição. Seus depoimentos às autoridades americanas ajudaram a derrubar na semana retrasada o então governador de Nova York, Eliot Spitzer.Segundo sua família, que vive em Vila Velha, no Espírito Santos, Andréia telefonou assim que chegou a São Paulo, mas depois não deu mais notícias. Ainda não está claro se a brasileira ficará em São Paulo ou viajará para a casa da família, onde é esperada pela mãe, Elza, e pelo filho T. de 14 anos. Roger Gouveia e Carlos Alberto Silva, dois amigos da capixaba, a esperavam no aeroporto, mas também não souberam dizer para onde Andréia seguirá agora.

JONES ROSSI, Agencia Estado

22 de março de 2008 | 16h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.