Anglo American e chilena Codelco encerram disputa de 10 meses

A Anglo American e a mineradora Codelco encerraram uma longa disputa de 10 meses nesta quinta-feira, com a mineradora global concordando em vender à sua rival chilena uma participação em suas cobiçadas propriedades no centro-sul do Chile, com desconto em relação ao preço de mercado.

CLARA FERREIRA-MARQUES E ALEXANDRA ULMER, Reuters

23 de agosto de 2012 | 11h11

O acordo, que vale mais de 2,8 bilhões de dólares excluindo a terra, levará a Anglo a reduzir seu domínio da Anglo American Sur para 50,1 por cento, enquanto a mineradora e acionista Mitsubishi venderá 29,5 por cento à Codelco e para sua parceira financeira, a japonesa Mitsui & Co.

A Codelco também terá uma terra não especificada, próxima à sua mina Andina. Uma fonte familiar com acordo disse na quarta-feira que a terra vale cerca de 400 milhões de dólares.

Sob o acordo, alcançado um dia antes do prazo estabelecido, a Anglo venderá uma participação de 24,5 por cento para a joint venture controlada pela Codelco, entre a central elétrica chilena e a trading japonesa Mitsui por 1,7 bilhão de dólares em dinheiro.

A parceria Codelco-Mitsui comprará uma participação adicional de 5 por cento por outros 1,1 bilhão de dólares, com a participação composta de 0,9 por cento da Anglo e 4,1 por cento da Mitsubishi Corp. Os 4,1 por cento serão comprados pela Anglo da Mitsubishi por 890 milhões de dólares, e vendidos na sequência.

O acordo foi feito com desconto ao valor original da opção, que sugeria um preço para os 24,5 por cento de cerca de 2,8 bilhões de dólares --abaixo dos 3 bilhões de dólares originais depois da queda dos preços do cobre.

Mais cedo nesta quinta-feira, fontes haviam dito que a Codelco pagaria menos de 1,8 bilhão de dólares pelos ativos da Anglo, pondo fim à disputa.

Mais conteúdo sobre:
MINERACAOANGLOCODELCOFIM*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.