Ansiedade é a maior barreira na estreia

Resolver a equação ansiedade/confiança é o primeiro desafio para o vestibulando Gabriel Fonseca de Castro, de 18 anos. Concluinte do ensino médio na Escola Estadual Manuel Ciridião Buarque, em São Paulo, Castro aposta nas horas acumuladas de estudo deste ano para continuar confiante, mesmo com a pressão de fazer seu primeiro Enem.

/ P.S., O Estado de S.Paulo

03 de novembro de 2012 | 02h01

"Eu ia da escola direto para o cursinho e ficava até as 22h ou 23h. Estou tenso, mas acredito na minha capacidade", diz ele, que fez cursinho no contraturno para concorrer a uma vaga em Relações Internacionais - de preferência na Unifesp. "Se passar fora de São Paulo, só vou se conseguir auxílio estudantil." Castro faz parte do 1,5 milhão de concluintes inscritos no exame.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.