Antes de G8 Lula cobra ajuda para países pobres combaterem crise

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira que vê poucas ações dos países ricos para ajudar os países pobres a combater os efeitos da crise financeira internacional.

REUTERS

06 Julho 2009 | 10h33

Lula está na Europa, onde participará nesta semana de reunião com os líderes dos principais países desenvolvidos e em desenvolvimento no encontro do G8 e do G5. O evento ocorrerá em L'Aquila, na Itália, para onde o presidente irá depois de visitar a França.

"Eu estou vendo pouca coisa acontecer por parte dos países ricos na ajuda que deveriam dar. Nós precisamos cobrar as coisas que nós decidimos que o FMI (Fundo Monetário Internacional) iria fazer e que o Banco Mundial iria fazer, e acho que essa reunião é extremamente importante", afirmou Lula em seu programa semanal de rádio, "Café com o Presidente".

Lula reafirmou que as discussões sobre a conjuntura econômica mundial deveriam ser realizadas pelo G20, grupo que reúne mais países em desenvolvimento. Para o presidente, ao tomarem decisões, os países desenvolvidos devem levar em consideração a opinião dos chamados Brics --Brasil, Rússia, Índia e China. A próxima reunião do G20 ocorrerá em setembro.

"O grande fórum de discussões das questões econômicas deveria ser o G20", destacou o presidente.

"A verdade é que a situação está tão complicada que hoje é muito difícil os países ricos tomarem posição que não leve em conta os chamados Brics, os chamados países emergentes, dos quais faz parte o Brasil", acrescentou.

A situação econômica internacional será o principal assunto das reuniões do G8 e do G5, em que deverão também ser discutidos crises regionais, segurança alimentar, a luta contra as mudanças climáticas e o comércio internacional.

Citando recente decisão do Brasil de facilitar a legalização de imigrantes, Lula criticou os países desenvolvidos.

Segundo o presidente, "enquanto eles (países ricos) estão perseguindo os imigrantes", o governo dá uma "demonstração do tratamento especial que o Brasil quer dar aos nossos irmãos que vieram de outros países para tentar a sorte no Brasil".

(Reportagem de Ana Paula Paiva; Edição de Fernando Exman)

Mais conteúdo sobre:
POLITICA LULA CAFE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.