Anticoagulante da Pfizer e Bristol ganha aval da UE para uso mais amplo

O anticoagulante Eliquis, da Pfizer e Bristol-Myers Squibb, foi recomendado para uso mais amplo na Europa, aumentando as perspectivas de uma droga importante para ambas as empresas norte-americanas.

REUTERS

27 Junho 2014 | 09h43

Os peritos da Agência Europeia de Medicamentos recomendaram que o Eliquis, também conhecido como apixaban, seja aprovado para o tratamento da trombose venosa profunda e embolia pulmonar, bem como para a prevenção de casos recorrentes, disseram as farmacêuticas nesta sexta-feira.

As duas condições ocorrem quando um coágulo bloqueia o fluxo de sangue em uma veia profunda - geralmente na parte inferior da perna, coxa ou pelve - ou nos vasos sanguíneos nos pulmões.

O Eliquis já é aprovado para redução do risco de derrame em pacientes com fibrilação atrial, um tipo de arritmia cardíaca comum entre idosos.

A nova aprovação vai ajudar o Eliquis a competir com o Xarelto, uma droga similar da Bayer e Johnson & Johnson, bem como com outros rivais no nascente campo.

Analistas do setor acreditam que a nova geração de medicamentos diluentes de sangue poderia, eventualmente, gerar vendas de mais de 10 bilhões de dólares por ano.

(Por Ben Hirschler)

Mais conteúdo sobre:
SAUDEPFIZERBRISTOLMYERS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.