Antigo remédio contra malária volta a funcionar no Malavi

Uma importante droga no combate á malária, que perdeu a eficiência em boa parte do mundo, por conta da crescente resistência do micróbio, parece ter recuperado seu poder, mas apenas em um único país ? a nação africana do Malavi. Trata-se de uma mudança surpreendente, com implicações para o combate a outros germes resistentes.Aparentemente, pela primeira vez uma droga amplamente usada contra uma doença letal recuperou sua eficiência, depois de um período de interrupção no uso.?Não esperávamos por isso?, disse o pesquisador Christopher Plowe, da Escola de Medicina da Universidade de Maryland. ?Não conheço nenhum outro caso de uma droga que tenha deixado de funcionar clinicamente, tenha sido retirada e, agora, esteja funcionando a100% de novo?.A droga, cloroquina, foi durante anos o padrão no tratamento da malária, pois era muito barata, eficiente e segura. Mas, em 1993, médico do Malavi pararam de usá-la, porque ela não funcionava mais contra a maioria dos casos.Mas, em anos recentes, cientistas encontraram sinais de que uma mudança genética na malária teria trazido de volta a vulnerabilidade do germe à cloroquina.Pesquisadores da Universidade de Maryland testaram a droga em 105 crianças infectadas com malária do Malavi. Uma proporção surpreendente, 99%, curaram-se. Essa descoberta, descrita na edição de quinta-feira do New England Journal of Medicine, sugere que outras nações africanas deveriam abandonar a cloroquina, como recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Uma vez que surjam evidências de que a droga recuperou a eficiência, ela poderia voltar a ser usada, em combinação com outras substâncias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.