Anvisa autua 55% das farmácias fiscalizadas em Goiás

Inspeção realizada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) nas farmácias de manipulação de Goiás resultou na suspensão de toda a manipulação de medicamentos em 32% dos estabelecimentos. Do total de 53 farmácias inspecionadas, 29 (55%) foram autuadas. O descumprimento da legislação em vigor também fez com que as 11 farmácias que manipulavam as chamadas Substâncias de Baixo Índice Terapêutico (SBIT) tivessem essa atividade suspensa. Pequenas variações na formulação dessas SBIT podem causar danos graves à saúde, tendo em vista que as doses terapêuticas são bastante próximas das doses tóxicas. tivessem essa atividade suspensa. As principais irregularidades encontradas foram: ausência de especificações para as matérias-primas utilizadas na manipulação (34%), inexistência de análise de controle de qualidade de matérias-primas (13%) e ausência de fornecedores qualificados (72%). Vinte e duas farmácias (42%) apresentaram, ainda, deficiências referentes à rastreabilidade das informações, o que pode impossibilitar a identificação, em casos de investigação, de qualquer suspeita de desvio de qualidade das formulações manipuladas.FiscalizaçãoA Anvisa realizou, entre os dias 29 de maio e 9 de junho, inspeção em 53 farmácias de manipulação dos municípios de Goiânia, Anápolis e Aparecida de Goiânia. A fiscalização faz parte do Programa de Inspeção em Farmácias, uma parceria da Agência com as vigilâncias estaduais e municipais.O programa tem por objetivo vistoriar farmácias que manipulam Substâncias de Baixo Índice Terapêutico (SBIT). Pequenas variações na formulação dessas substâncias podem causar danos graves à saúde, tendo em vista que as doses terapêuticas são bastante próximas das doses tóxicas.A fiscalização verificou ainda o cumprimento das boas práticas de manipulação de medicamentos, estabelecidas na resolução RDC 33/00 - atual legislação para as farmácias de manipulação - no que se refere às especificações e análise de controle de qualidade de matérias-primas, qualificação de fornecedores e treinamento de funcionários.Goiás é o terceiro Estado a realizar essa vistoria. No ano passado, São Paulo e Minas Gerais passaram pelo mesmo procedimento.

Agencia Estado,

10 de julho de 2006 | 17h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.