Anvisa interdita lotes de Ades de fábrica em MG

Consumidores não devem comprar o produto fabricado em unidade da Unilever de Pouso Alegre

O Estado de S.Paulo

19 de março de 2013 | 02h01

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou ontem a suspensão da fabricação, distribuição e comercialização de todos os lotes dos produtos de soja da marca Ades fabricados na TBA3G, a unidade da Unilever de Pouso Alegre, no interior de Minas Gerais. A medida vale para todos os sabores.

A decisão foi adotada dias depois de a empresa detentora da marca Ades, a multinacional Unilever, ter realizado o recall de um lote do produto com sabor maçã. A empresa informou que o produto, por falha no processo, estaria contaminado por uma solução de limpeza. Quando ingerido, poderia provocar queimaduras. O problema seria fruto de uma falha no processo de produção.

A Anvisa afirma que a medida foi tomada por precaução. De acordo com a agência, existe a suspeita de que tenha havido desrespeito às normas de produção.

Na quarta-feira passada, a Unilever anunciou recall do lote com iniciais AGB25 do suco de maçã Ades de 1,5 litro, fabricado em 25 de fevereiro e distribuídos para os mercados de São Paulo, Rio de Janeiro e Paraná. Em comunicado, a empresa informou que havia detectado uma falha no processo de higienização do maquinário que resultou na contaminação de 96 unidades com uma solução de limpeza.

A recomendação é a de que o consumidor não utilize os produtos Ades que já tenham sido adquiridos. A agência orienta que, em caso de queimadura ou outro sintomas, o consumidor procure um médico. Para realizar a troca ou reembolso do produto, é preciso entrar em contato com o fabricante.

A solicitação pode ser feita pelo SAC no 0800 707 0044, das 8 às 20 horas, ou sac@ades.com.br. Em casos de dúvidas, a Anvisa dispõe de uma Central de Atendimento: 0800 642 9782.

As Vigilâncias Sanitárias Estadual de Minas Gerais e Municipal de Pouso Alegre devem emitir hoje um laudo preliminar sobre vistoria feita ontem na fábrica da Unilever Brasil no município no sul do Estado. É na unidade onde funciona a produção da linha de alimentos com soja da marca Ades que foram proibidos de serem comercializados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Ontem à noite, a expectativa era de que o laudo preliminar autorizasse a volta do funcionamento da unidade ou determinasse a manutenção da interdição para adoção de novas medidas.

Colaboração

Por meio de nota, a Unilever declarou que desde o último dia 13 nenhum produto fabricado na TBA3G foi distribuído ao mercado e a linha de produção está inativa. A nota diz que a empresa já adotou as medidas corretivas na unidade e está "colaborando com a Anvisa com o fornecimento de todas as informações necessárias para a revogação da interdição cautelar que possibilitará o retorno da fabricação, bem como a liberação para a distribuição, comercialização e consumo dos lotes de Ades com iniciais AG (exceto AGB25)".

A empresa afirmou ainda que os produtos da marca de outros lotes continuam no mercado "em perfeitas condições para consumo". A Vigilância Sanitária Estadual orientou os consumidores a, caso encontrem unidades do lote cuja venda foi proibida, acionarem a vigilância sanitária do município para que os produtos sejam recolhidos.

A Secretaria Nacional do Consumidor do Ministério da Justiça convocou a Unilever a comparecer em audiência que será realizada na tarde de hoje com a presença da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Tudo o que sabemos sobre:
Ades

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.