Ao menos 175 ainda estão desabrigados na serra do RJ

Quase cinco meses após o temporal que devastou parte da região serrana do Rio de Janeiro, ainda faltam terrenos para a construção das mais de 7 mil casas prometidas pelo governo federal para os desabrigados. Segundo autoridades nacionais, estaduais e municipais, a demora se deve à falta de projetos habitacionais nas sete cidades afetadas e à dificuldade das prefeituras em encontrar locais adequados para as obras.

BRUNO BOGHOSSIAN, Agência Estado

03 Junho 2011 | 19h43

Pelo menos 175 pessoas ainda vivem em abrigos públicos e cerca de 7 mil famílias recebem um aluguel social de até R$ 500 por mês. As autoridades locais, no entanto, afirmam que o número de imóveis disponíveis para locação nos municípios atingidos é pequeno, e que muitos ainda vivem com parentes.

A construção de moradias incluídas no programa Minha Casa, Minha Vida foi anunciada pela presidente Dilma Rousseff no dia 27 de janeiro, duas semanas depois da chuva que atingiu Teresópolis, Nova Friburgo, Petrópolis e outros quatro municípios da serra fluminense. Segundo o deputado estadual Luiz Paulo Corrêa da Rocha (PSDB), presidente da CPI da Região Serrana, as casas prometidas por Dilma só devem ficar prontas no segundo semestre de 2012.

O temporal do dia 12 de janeiro provocou a morte de 916 pessoas e deixou 281 desaparecidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.