Após 13 mortes, UTI neonatal é interditada

A Secretaria Estadual de Saúde interditou ontem a UTI Neonatal do Hospital Municipal da Criança de Guarulhos, Grande São Paulo, onde foram registradas 13 mortes entre 7 de abril e 26 de maio.

Márcio Pinho e Karina Toledo, O Estado de S.Paulo

02 Junho 2011 | 00h00

Segundo a pasta, vistoria do Centro de Vigilância Epidemiológica e Centro de Vigilância Sanitária constatou diversas irregularidades, como problemas no controle de infecção, manutenção predial, falta de capacitação dos funcionários em relação a procedimentos de esterilização de equipamentos e climatização inadequada. O relatório final fica pronto em 30 dias.

A investigação partiu do Ministério Público Estadual (MPE). O órgão informou que pelo menos quatro crianças tiveram pneumonia e seis, infecção primária.

A diretora do hospital, Heloísa Sampaio, disse que desde a pandemia de gripe suína, em 2009, aumentou o número de crianças com quadros respiratórios graves. A Secretaria Municipal de Saúde informou que obras de adequação serão feitas dentro de dez dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.