Após 20 horas, termina rebelião em presídio de SP

Após mais de 20 horas, foi encerrada na manhã desta segunda-feira, 15, a rebelião que deixou dois presos mortos e 68 visitantes, incluindo crianças e mulheres grávidas, reféns no presídio de Itirapina, no interior de São Paulo. Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária do Estado (SAP), a situação se normalizou por volta das 08h20. A Tropa de Choque entrou no presídio após o final das negociações para revistar os presos e levá-los de volta às suas celas.

SANDRO VILLAR E MATEUS COUTINHO, Agência Estado

15 de julho de 2013 | 10h05

O tumulto começou por volta das 11 horas da manhã de domingo, 14, depois que uma mulher, que visitava o marido, foi barrada durante a revista na portaria. O presidiário protestou e teve início uma confusão. Os presos não deixaram os visitantes saírem da penitenciária.

Um funcionário do presídio, que pediu anonimato, disse que o que houve foi um desentendimento entre os detentos. "Não é uma rebelião", afirmou, acrescentando que as celas não foram depredadas nem incendiadas. Com capacidade para 210 detentos, a Penitenciária de Itirapina hoje abriga 602.

Mais conteúdo sobre:
rebeliãopresídioSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.