Após 7h de protesto, ônibus voltam a circular em SP

Uma nova reunião irá acontecer na próxima segunda-feira, às 14h, no gabinete da CET

Gheisa Lessa, estadão.com.br

07 Maio 2012 | 16h13

SÃO PAULO - Terminou por volta das 14h desta segunda-feira, 7, o protesto dos motoristas de cobradores de ônibus na Avenida Francisco Matarazzo, na zona oeste da cidade. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo (Sindmotoristas-SP), uma reunião foi agendada para a próxima segunda-feira, 14.

A circulação 21 linhas de ônibus municipais de São Paulo ficou completamente suspensa durante a manhã desta segunda. Cerca de 140 motoristas e cobradores de ônibus realizaram um protesto, que ocupou toda a extensão da Avenida Francisco Matarazzo desde às 6h50 desta manhã.

A manifestação reivindicou contra um aparelho de radar da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), localizado na altura do número 455 da avenida, no sentido centro. Segundo o Sindmotoristas, o aparelho estaria multando indevidamente os condutores dos transportes públicos.

 

Segundo informações do delegado sindical Valdir Feitosa da Silva, a CET e a SPTrans já haviam sido notificadas sobre o problema da máquina e chegaram a trocar o aparelho que, mesmo com a troca, voltou a multar os condutores de ônibus.

Silva afirma que os dirigentes do Sindmotoristas participaram nesta segunda de uma reunião com os órgãos responsáveis pelos transportes de São Paulo e, durante a conversa foram apresentados 108 protocolos e 508 notificações sobre multas que teriam sido registradas erroneamente.

"Todos os ônibus tem aparelho tacógrafo - que monitora o tempo de uso, a distância percorrida e a velocidade a qual o veículo encontrava-se em determinado momento - e de acordo com os registros dos ônibus, a velocidade que o radar computava é a errada", afirmou o delegado sindical.

"Neste caso, tivemos um ônibus que foi multado por estar trafegando a 73km/h em uma via que tem como limite a velocidade de 50km/h, mas o tacógrafo registrou 48km/h", detalha Silva.

O delegado contou que, na reunião ocorrida nesta segunda, os representantes da CET e da SPTrans recolheram as informações apresentadas pelo Sindicato e comprometeram-se a realizar uma perícia técnica no radar em questão.

Uma nova reunião irá acontecer na próxima segunda-feira, às 14h, no gabinete da Companhia de Engenharia de Tráfego, na Avenida Barão de Itapetininga, no centro da capital. Nesta ocasião o Estado irá apresentar uma conclusão sobre o que será feito com o aparelho denunciado pelos motoristas dos transportes públicos.

Conforme informações da SPTrans, por volta das 15h desta segunda, a circulação das 21 linhas de ônibus atingidas pelo protesto voltou ao normal, sem atrasos. O órgão não soube informar o número de pessoas prejudicadas pela paralisação.

Mais conteúdo sobre:
protesto ônibus SP

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.