Após articulação de Serra, Aécio recebe terceiro líder tucano

Após a nomeação de Geraldo Alckmin para a secretaria de Desenvolvimento do governo paulista de José Serra, o governador mineiro Aécio Neves tem recebido a visita de lideranças do PSDB na sede do Executivo mineiro. Depois do presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), e do deputado e ex-ministro da Educação, Paulo Renato (SP), nesta quinta-feira foi a vez do diretor de relações intersindicais do PSDB, deputado Carlos Sampaio (SP). Todos procuram afirmar que Aécio não saiu enfraquecido com a articulação de Serra. "O ex-governador Geraldo Alckmin não é homem de A ou de B. Sem dúvida, é amigo pessoal de Aécio e não muda suas amizades", disse Sampaio. "E não existe Presidência da República, não existe cargo algum que se consulte sem que se coloque em pauta o nome do governador Aécio como sendo possível candidato ou referendando um possível candidato", afirmou. Serra e Aécio disputam a indicação do PSDB para concorrer à Presidência da República. Apesar da declaração do deputado sobre as amizades, Alckmin, que enfrentou disputas intrapartidárias com Serra nas duas últimas eleições, afirmou durante sua indicação para a secretaria na segunda-feira que o governador paulista é importante nome do PSDB para 2010. "Não preciso dizer ao governador Aécio que ele não está isolado. Não vejo discórdia interna. Noventa por cento disso é fantasia de quem quer que a coisa não corra bem", ressaltou Sampaio. Fazendo coro com Aécio, o deputado afirmou que é a favor das prévias para a escolha do candidato a presidente e disse que a executiva tucana deve se reunir em breve para elaborar o modelo do processo e o universo que terá direito a voto caso seja realizado. (Reportagem de Marcelo Portela)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.