Após explosão e mortes, prédios são interditados no Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, afirmou hoje que os dois prédios afetados pela explosão que provocou três mortes, nesta manhã, no centro da cidade, estão interditados até uma análise final dos técnicos da Defesa Civil. A interdição vale para o edifício onde teve origem a explosão, na Praça Tiradentes, e o hotel Formule 1, localizado ao lado.

PEDRO DANTAS E WILSON TOSTA, Agência Estado

13 Outubro 2011 | 09h56

O prefeito informou também que alguns dos feridos levados para o hospital Souza Aguiar estão em estado grave. O prefeito confirmou a informação de funcionários do restaurante Filé Carioca, onde teve origem a explosão, de que tudo indica que a causa foi um vazamento de gás.

O estouro fez com que três vítimas fossem arremessadas para a Praça Tiradentes. Além das três pessoas mortas, outras 13 pessoas foram hospitalizadas. A explosão destruiu totalmente o andar térreo do prédio. Os destroços foram lançados a uma distância de cerca de 100 metros. Mais cedo, os bombeiros ainda procuravam por vítimas nos andares mais altos dos prédios atingidos. Até o nono andar de um dos edifícios, há sinais de destruição, com muitos vidros quebrados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.