Após massacre, pais e estudantes pintam escola no Rio

Um mutirão reuniu hoje cerca de 150 pessoas para pintura dos muros da Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na zona oeste do Rio. A escola foi palco do massacre de 12 crianças no último dia 7, quando Wellington Menezes de Oliveira, um ex-aluno, invadiu o local, armado. Pais, estudantes, professores, ex-alunos e funcionários fizeram o abraço simbólico do prédio.

PEDRO DANTAS, Agência Estado

16 de abril de 2011 | 13h10

"O objetivo é mostrar para a sociedade que esta escola forma pessoas boas e não assassinos, disse a ex-aluna Viviane Arruda, de 26 anos, uma das organizadoras do evento. Alguns estudantes que presenciaram o massacre foram pela primeira vez ao colégio após as mortes. As aulas recomeçam na segunda-feira para o turno da tarde e na terça-feira para o turno da manhã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.