Após morte de agricultora, MST retoma marcha em SP

Cerca de 1.200 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e da Via Campesina deixaram hoje o parque municipal de Vinhedo, no interior paulista, no segundo dia da Marcha Estadual do movimento, que partiu de Campinas ontem e pretende chegar a São Paulo na segunda-feira. O grupo saiu do alojamento no começo da manhã e logo estava na Rodovia Anhanguera. A chegada a Jundiaí está prevista para o início da tarde. Os manifestantes passaram a noite em Vinhedo, como estava programado, após um acidente que levou à morte a agricultora Maria Cícera Neves, de 58 anos.

TATIANA FAVARO, Agencia Estado

07 Agosto 2009 | 10h54

A integrante do MST morreu atropelada por um caminhão no quilômetro 79 da via sul da Rodovia Anhanguera quando o grupo chegava ao município. "Consideramos a morte da companheira Maria Cícera um grande desastre, mas foi um acidente e precisamos nos mobilizar", afirmou hoje Kelli Mafort, da coordenação nacional do MST. "A companheira que sofreu o acidente era uma lutadora, estava havia oito anos acampada, morando debaixo de lona e morreu sem ter a possibilidade de ter seu pedaço de terra. A marcha é um dos nossos instrumentos para mostrar a necessidade de uma distribuição de terra mais justa", disse Kelli.

Mais conteúdo sobre:
reforma agráriaMSTmarchaSP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.