Após motim, começa obra no CDP de Ribeirão Preto-SP

As obras de reforma no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, começaram ontem, logo após a saída dos últimos seis presos, transferidos para a Penitenciária da cidade, a poucos metros dali. Horas antes, saíram outros 43 para Americana (SP). Os serviços, que custarão cerca de R$ 1,4 milhão e terão seis meses de duração, são necessários por causa da rebelião ocorrida em 11 de abril.O prédio ficou destruído e dois presos morreram no motim. No dia da revolta, tinham 1.008 presos no CDP. A partir daí, ocorreram as transferências para diversas unidades prisionais do Estado até que o local fosse esvaziado para o início da reforma. O CDP tem capacidade para 768 presos, mas já teve cerca de 1,2 mil presos. Nos próximos seis meses, os "novos presos" serão acomodados em celas anexas do 1º e 2º Distritos Policiais (DPs). Se preciso, em último caso, um caminhão-baú, usado para transferir presos, seria usado como cela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.