Após surpreendente 3o tri, Redecard vê ganho de market share

A Redecard previu que ganhará market share este ano no segmento de pagamentos eletrônicos, disse nesta quinta-feira o presidente da companhia, Claudio Yamaguti.

REUTERS

27 Outubro 2011 | 21h10

"Estamos crescendo cerca de 30 por cento este ano, contra uma média de cerca de 26 por cento do mercado", disse Yamaguti, também presidente da Abecs, entidade que representa as empresas de cartões.

A companhia recebeu comentários positivos de analistas, após ter divulgado na véspera resultados do terceiro trimestre, que vieram acima das projeções

A vice-líder no setor, atrás da Cielo, teve no período lucro líquido de 343,6 milhões de reais, um avanço de 6 por cento em relação ao apurado em igual etapa de 2010.

"A companhia continuou demonstrando forte crescimento no volume financeiro capturado das transações, notadamente no cartão de débito, que praticamente compensou a queda nas taxas cobradas", comentou a corretora Concórdia, em relatório.

A Concórdia também destacou a evolução da receita com antecipação de recebíveis, a queda nos custos por transação, que sinaliza melhora das margens nos próximos períodos.

A avaliação de analistas é que, um ano após a abertura do setor, tanto a Cielo como a Redecard não entraram numa competição voraz que machucasse tanto as margens.

As taxas de desconto cobradas dos lojistas (MDR) baixou de 1,15 por cento para 1,14 por cento nas operações de crédito. Nas de débito, houve recuo de 0,74 para 0,73 por cento. A queda foi menor do que se esperava. Além disso, a empresa teve mais receita do que analistas esperavam com o aluguel das máquinas (POS) e economia com despesas.

"Na nossa visão, o melhor ainda está por vir, uma vez que o controle de custos vai ser refletido com mais força no quarto trimestre", comentou o Credit Suisse, que reforçou recomendação de compra para as ações da companhia.

"Nós vemos um potencial de ganho maior no quarto trimestre", concordou o UBS, que também reforçou a recomendação de compra.

(Reportagem de Aluísio Alves; edição de Tatiana Ramil)

Mais conteúdo sobre:
FINANCAS CARTOES REDECARD*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.