Após 'toque de recolher', 23 já foram presos em SC

Apenas voluntários, políciais, bombeiros e profissionais que atuam nas áreas de risco têm livre circulação

AE, Agência Estado

04 de dezembro de 2008 | 08h03

A prefeitura de Itajaí (SC) e o comando do patrulhamento se recusam a adotar o termo "toque de recolher", mas desde que a Polícia Militar restringiu a circulação depois das 22 horas na cidade, pessoas são abordadas e revistadas nas ruas após este horário. A medida foi adotada para evitar saques a casas que tiveram de ser abandonadas por causa das enchentes provocadas pelas chuvas que atingiram o Estado. Desde o fim da semana, 23 pessoas foram detidas depois do horário estabelecido sem "um bom motivo", como resumiu o coronel Eliésio Rodrigues, responsável pelo Comando de Policiamento da região. Veja também:SC pede que Estados parem de mandar doaçõesSaiba como ajudar as vítimas das chuvas Mais de 30 mil voltam para casa em SCTBG retoma obras de reparo do gasoduto Saúde SC notifica 62 suspeitas de leptospiroseParaná encerra doações a Santa CatarinaSolo pode demorar 6 meses para estabilizarTrabalhos na encosta impedem liberação de BR4,5 mil seguem sem energia no EstadoIML divulga lista de vítimas identificadas Repórteres relatam deslizamento em Ilhota  Mulher fala da perda de parentes em SC Tragédia em Santa Catarina Blog: envie seu relato sobre as chuvas Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Tudo sobre as vítimas das chuvas    Dessas, apenas nove tinham problemas com a Justiça. "Essas pessoas estavam em áreas consideradas críticas, onde estamos tentando manter a segurança. Elas simplesmente não tinham motivos para andar por lá e por isso foram presas", diz Rodrigues. "Como é um crime de menor potencial ofensivo, foram liberadas e terão de passar pelos juizados", completa o capitão da PM Marcelo Egídio Costa.Segundo a Portaria 186, que instituiu o "toque de recolher", apenas voluntários cadastrados pelas Defesas Civis, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e profissionais que atuam nas áreas de risco podem ter livre circulação. A nova determinação, no entanto, não acabou com os roubos - ontem de madrugada, dois postos de saúde entre Navegantes e Itajaí que estavam fechados por causa das enchentes foram saqueados. Remédios e equipamentos médicos avaliados em quase R$ 10 mil foram levados.

Mais conteúdo sobre:
chuvasSanta Catarinasaques

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.