Após uma hora e meia de discursos, termina ato na Paulista

Manifestação de movimentos sindicais e sociais reivindicou redução da jornada de trabalho para 40 horas

Carolina Freitas, AE

14 Agosto 2009 | 15h03

Terminou por volta das 14 horas desta sexta-feira, 14, a manifestação de centrais sindicais e movimentos sociais pela redução da jornada semanal de trabalho para 40 horas, por garantia do emprego em empresas que tenham recebido financiamento público e em defesa dos direitos sociais, na Avenida Paulista, na região central da cidade. Durante cerca de uma hora e meia lideranças discursaram para os cerca de 3 mil manifestantes no vão livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp).

Um grupo de 200 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) segue a pé pela Avenida Paulista até o Hospital das Clínicas, na Rua Doutor Arnaldo. Eles ocupam uma faixa da Avenida Paulista e estão nas proximidades da Avenida da Consolação. Segundo o major da Polícia Militar David Bianco, que comandou o policiamento na região durante a passeata, não foi registrado qualquer incidente durante o ato. Os cerca de 150 policias já deixaram o local.

Os manifestantes saíram às 11hs da Praça Oswaldo Cruz, no centro de São Paulo, e caminharam até o vão livre do Masp, onde ocorreu o ato político. O protesto faz parte de uma jornada nacional de lutas que une representantes de seis centrais sindicais e entidades do movimento social, entre elas o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Mais conteúdo sobre:
manifestaçãoPaulistaMTSTMST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.