Apple lança iPad mini com filas são menores

O lançamento do iPad mini da Apple atraiu multidões menores de Sidney a Nova York nesta sexta-feira, do que atraíram lançamentos de produtos anteriores da empresa, eventos marcados por pessoas permanecendo durante horas e até dias nas filas.

Reuters

02 de novembro de 2012 | 15h22

A proliferação de dispositivos rivais comparáveis tem minado algum interesse pelo dispositivo, que custa mais do que os aparelhos rivais da Google e Amazon.com Inc.

Algumas centenas de pessoas estavam na fila da Apple na Quinta Avenida, em Nova York, dias depois que a cidade foi atingida pelo furacão Sandy, uma das maiores tempestades já vista nos Estados Unidos.

Em Amsterdã, duas horas após a abertura da loja da Apple, parecia um dia típico, sem filas do lado de fora da porta.

Cerca de 50 pessoas aguardavam a abertura loja da Apple em Sidney, Austrália, onde no passado a fila havia se estendido por vários quarteirões quando a empresa lançou novos iPhones.

Havia filas de 100 pessoas ou mais fora das lojas da Apple em Tóquio, no Japão, e Seul, na Coreia do Sul, quando o dispositivo foi colocado à venda, mas quando a loja em Hong Kong abriu parecia que a equipe superava o número daqueles que esperavam na fila.

O iPad mini marca a primeira incursão da Apple no segmento de tablets menores e a mais recente ação em uma guerra global de dispositivos móveis que tomou conta da líder de buscas nas internet Google, cujo software Android roda em tablets de diversos fabricantes, da varejista online Amazon.com e da gigante de software Microsoft Corp.

(Por Thuy Ong e Liana B. Baker)

Tudo o que sabemos sobre:
TECHAPPLEIPAD*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.