Apple sofre derrota em tentativa de bloquear monitor antitruste

A Apple foi derrotada na segunda-feira em uma tentativa de bloquear um monitor antitruste externo nomeado depois que uma juíza constatou que a companhia havia conspirado para fixar os preços de livros eletrônicos.

Reuters

14 de janeiro de 2014 | 09h14

Em uma audiência, a juíza Denise Cote, de Manhattan, negou o pedido da Apple buscando a suspensão de uma ordem que exige um monitor externo de conformidade após o recurso da empresa.

"Eu quero que a monitoria dê certo para a Apple", disse ela.

A juíza disse também que "não há nada impróprio" sobre uma declaração enviada por um advogado escolhido para servir como monitor, Michael Bromwich, que se tornou a base para o pedido da Apple por sua desqualificação.

Cote disse que ela vai emitir uma decisão rapidamente explicando seu raciocínio. A Apple então terá 48 horas para buscar uma suspensão emergencial junto à corte federal de recursos em Nova York, ela disse.

Theodore Boutrous, um advogada da Apple, disse que a empresa vai recorrer. Uma porta-voz do Departamento de Justiça dos Estados Unidos não quis comentar de imediato.

A audiência foi a mais nova a sair de uma batalha crescente, originada nas objeções da Apple sobre o monitor. Em outubro, Cote nomeou Bromwich, um ex-inspetor geral do Departamento de Justiça, três meses depois de ter constatado que a Apple era responsável por conspirar com cinco editoras para elevar os preços de livros eletrônicos.

(Por Nate Raymond)

Tudo o que sabemos sobre:
TECHAPPLEANTITRUSTEMONITOR*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.