Aquisição da Blockbuster pelas Americanas envolverá Web

A aquisição da rede de locadoras de vídeo Blockbuster pela rede de varejo das Lojas Americanas, terá também reflexos na operação online das empresas, já que o site de comércio eletrônico da Blockbuster também entrou na negociação. No começo, os usuários devem ser transferidos para as páginas da Americanas ou do Submarino, que vendem praticamente os mesmos produtos da videolocadora online. As Americanas ainda não têm planos de alugar filmes pela internet, como faz a Blockbuster nos Estados Unidos. Segundo executivo ligado à negociação, eles só devem tomar essa decisão quando houver solução para uma briga da Blockbuster com a Netflix na Justiça americana. A Netflix, criada em 1999 só para operar no mundo virtual, acusa a Blockbuster de infração à sua patente de tecnologia de aluguel pela internet. A internet - seja para alugar ou para baixar filmes - é tida como o futuro desse negócio. Calcula-se que os aluguéis online movimentem US$ 1 bilhão nos EUA ou 12% do mercado total de aluguéis de filmes. A Blockbuster fechou o ano com 2,2 milhões de usuários nos EUA, 3,5 milhões a menos que a carteira da Netflix.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.