Arábia Saudita fará reunião com EUA e aliados regionais sobre Estado Islâmico

A Arábia Saudita realizará conversações na quinta-feira sobre a violência dos grupos rebeldes no Oriente Médio com os Estados Unidos e aliados muçulmanos, anunciou o reino nesta terça-feira, em uma aparente tentativa de apoiar os esforços internacionais para lidar com as crises no Iraque e na Síria.

REUTERS

09 Setembro 2014 | 09h04

O maior exportador de petróleo do mundo está preocupado com o rápido avanço do Estado Islâmico — um grupo militante que assumiu controle de territórios no Iraque e na Síria — e teme que ele possa radicalizar alguns de seus cidadãos e levar a ataques contra o governo nacional, aliado dos EUA.

“A reunião vai tratar da questão do terrorismo na região e de organizações extremistas que estão por trás dele, e as maneiras de lidar com isso”, disse um comunicado divulgado pela agência de notícias do governo.

Segundo a nota, os participantes incluem Egito, Turquia, Jordânia e Estados-membros do Conselho de Cooperação do Golfo, que engloba, além da Arábia Saudita, Barein, Emirados Árabes Unidos, Kwait, Omã e Catar.

Ministros das relações exteriores da Liga Árabe concordaram, no domingo, em tomar todas as medidas necessárias para confrontar o Estado Islâmico.

O presidente dos EUA, Barack Obama, que autorizou semanas de ataques aéreos no Iraque para barrar o avanço de combatentes do Estado Islâmico, espera que os Estados do Golfo considerem uma ação militar também, e deseja ver o apoio deles aos muçulmanos sunitas moderados no Iraque e na Síria, o que poderia prejudicar o apelo do grupo radical.

(Por Reem Shamseddine)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.