Arquivo Pessoal
Arquivo Pessoal

Áreas vips ficam vazias nos jogos de futebol

Estádios construídos para a Copa do Mundo reduzem preços de ingressos dos espaços mais caros para atrair torcedores

Hermínio Bernardo, Especial para o Estado

08 Agosto 2015 | 03h00

Minutos antes de Emerson Sheik acertar um belo chute e abrir o placar contra o Once Caldas, o corintiano Tiago Lipari, 29, percebeu a diferença de tratamento já na chegada à Arena Corinthians, na zona leste de São Paulo. Havia uma funcionária para verificar o ingresso e ainda acompanhá-lo até o lugar demarcado, com direito a visão panorâmica do gramado. Tudo incluído no ingresso para área vip do estádio que abrigou a abertura da Copa do Mundo no Brasil.

“Foi uma sensação ótima, bem diferente de assistir ao jogo nas arquibancadas normais por causa da organização”, afirmou o corinthiano, que ia pela primeira vez ao novo estádio. Tiago não pagou nem um centavo dos R$ 200 do ingresso, presente do patrão que não conseguiu ir ao jogo. Do próprio bolso, diz que não pagaria. “Se somasse o meu ingresso e o da minha esposa, mais estacionamento e lanche, custaria mais de R$ 500 reais."

O valor de R$ 200 pela partida disputada em fevereiro deste ano é o mais barato já cobrado na área vip da Arena Corinthians. O setor começou com ingressos a R$ 500 reais, reduziu para R$ 350 e depois para R$ 200. No início, o serviço incluía buffet, que deixou de ser oferecido com a diminuição de preços. Além da queda nos preços, o clube decidiu acabar com a venda avulsa dos ingressos vip, disponíveis apenas para sócios-torcedores a partir do jogo contra o Cruzeiro, no dia 23 de agosto.

Entre os estádios da Copa do Mundo administrados por clubes, a Arena Corinthians está longe de ser a única com problemas para emplacar os ingressos vip. 

No Beira-Rio, o Internacional dividiu a área especial em duas com diferentes serviços. A entrada com serviço mais completo custa R$ 650 e inclui buffet e estacionamento, além de assentos mais próximos do gramado. Sem esses serviços, o ingresso vip com assento numerado e na sombra, tem três faixas de preço - R$ 250, R$ 310 ou R$ 375 -  que dependem da localização no estádio. O gerente de marketing da Brio, empresa que administra o estádio, Felipe Apolonio, admite que o preço praticado no estádio é 30% menor do que o planejado. “Identificamos que poderia ser criada na área vip uma categoria de assentos com preço promocional para (atrair) o torcedor que já experimentou o serviço”, afirma.

O Atlético Paranaense também enfrenta dificuldades para preencher a área vip da Arena da Baixada, reformada e com capacidade ampliada para o Mundial. A resposta do público tem sido pequena: a média no Campeonato Paranaense deste ano foi de 6.700 torcedores por jogo, apenas 15,6% da capacidade do estádio. Em abril, o rubro-negro reduziu apenas o valor dos ingressos vip, que caíram de R$ 800 para R$ 500 tanto nas vendas avulsas como para planos de sócio-torcedores. Também lançou promoções que podiam derrubar o preço do ingresso vip de R$ 800 para R$ 300 apenas com a troca de comprovantes de apostas na Timemania.

As outras nove arenas sedes da copa não são administradas por clubes. Os preços das áreas vips, nesses casos, são estipulados pelos times que alugam os estádios e variam.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.