Argentina autoriza pela 1ª vez mudança de sexo de menor

Comunidade homossexual do país considera o caso um marco histórico

BBC,

26 de setembro de 2007 | 08h22

Um tribunal argentino aceitou pela primeira vez que um menor se submeta a uma operação para a mudança de sexo, informou nesta quarta-feira, 26, uma reportagem da BBC. Um menino de 17 anos, chamado Nati, deseja ser mulher, e a decisão do tribunal da província de Córdoba sobre o caso conclui um processo judicial que já durava três anos. "De certa forma estou contente porque reconheceram minha identidade feminina", disse Natalia (seu nome feminino). Nati sofre de um distúrbio transexual conhecido como Síndrome de Harry Benjamin, que se caracteriza pelo forte desejo de pertencer ao sexo oposto. Desde criança, Nati acreditava ter nascido no corpo errado. O juiz insistiu que Nati receba aconselhamento psicológico após a cirurgia, que deverá se realizar nos próximos dias. Depois da cirurgia, Nati também poderá mudar seu nome oficialmente e pedir novos documentos. Os pais e amigos apoiaram Nati durante toda a tramitação do processo na Justiça, assim como o presidente da Comunidade Homossexual Argentina, Cesar Cigliutti. "Foi autorizada não apenas a operação mas também as mudanças necessárias em sua certidão de nascimento", afirmou. "O que é importante e incomum sobre este caso é que Natalia é menor de idade - ela ainda não tem 18 anos de idade - e este se tornou um caso emblemático para pessoas que têm uma identidade de gênero diferente da biológica."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.