Argentino aumenta expectativa do governo para público

A escolha do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio para papa aumentou as expectativas do governo federal para o público da Jornada Mundial da Juventude, que acontece em julho deste ano no Rio de Janeiro. A expectativa é de que o número de turistas possa ser superior ao previsto para as Olimpíadas, de 2 milhões de pessoas.

EDUARDO BRESCIANI, Agência Estado

14 de março de 2013 | 19h09

Bergoglio, que escolheu o nome de Francisco, é o primeiro papa de fora da Europa.

"Com a decisão por um papa argentino não há dúvida de que como evento de massa a Jornada Mundial da Juventude será agora maior que as Olimpíadas de 2016. O governo vai começar a trabalhar com esse cenário", afirmou o presidente da Embratur, Flávio Dino.

A estimativa dos organizadores do evento já era de receber cerca de 2 milhões de pessoas entre 23 e 28 de julho. Dino, porém, acredita que a escolha fará com que mais católicos dos países da América do Sul venham para o evento. O presidente da Embratur espera ainda a presença de mais chefes de estado no País para prestigiar o novo pontífice. "A Igreja Católica é muito forte na América do Sul e com um papa jesuíta, sul-americano e que fala a língua espanhola certamente vai gerar um interesse ainda maior. Vamos procurar os organizadores para verificar a necessidade de algumas alterações no planejamento, como o aumento do número de voluntários e mesmo questões de logística", disse Dino.

A organização do evento no Brasil é comandada pela Arquidiocese do Rio de Janeiro. A previsão inicial é de que o pontífice passe três dias na cidade e participe de três atividades da Jornada. Os organizadores, porém, vão propor uma extensão da agenda com mais atividades, visto que a programação levava em conta o estado de saúde do agora papa emérito Bento XVI. A definição sobre as possíveis mudanças na agenda devem acontecer somente no final de abril.

Segundo a assessoria de imprensa da Jornada, não há previsão de alteração na estrutura do evento. Dos 2 milhões de participantes esperados, cerca da metade deve passar a noite em uma vigília em um terreno em Guaratiba, uma das atividades em que o papa estará presente. A organização vai monitorar nas próximas semanas a inscrição de peregrinos para verificar se há um aumento da expectativa de visitantes que justifique alguma mudança de estrutura.

Tudo o que sabemos sobre:
papaBrasilturismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.