Arqueólogos descobrem muro que protegia templo de Karnak

Uma equipe arqueológica egípcia descobriu os vestígios de um enorme muro que foi construído para proteger de enchentes o templo faraônico de Karnak, erguido há aproximadamente 4.000 anos, informou no domingo, 22, o ministro de Cultura do Egito, Farouk Hosni.O achado foi feito durante os trabalhos de busca e rastreamento de peças arqueológicas na parte oeste do templo. Ele está situado na margem leste do rio Nilo, na localidade de Luxor, 700 quilômetros ao sul do Cairo, precisou o ministro em comunicado.Até agora foram desenterrados quase 400 metros de comprimento e sete metros de altura da muralha, que foi construída com enormes blocos de pedra arenisca transportada das pedreiras de Assuã, cerca de 260 quilômetros ao sul de Luxor, revelou, por sua parte, Zahi Hawas, chefe do Conselho Supremo de Antiguidades (CSA).O responsável egípcio não descartou a possibilidade de descoberta de outras extensões do muro até que as escavações sejam concluídas.Os primeiros estudos realizados no muro, que servia para conter as águas do Nilo, confirmam que sua construção começou durante a dinastia XXVI (672 a 525 a.C.) e continuou no reinado do faraó Nectanebo I (378 a 361 a.C.), um dos últimos faraós egípcios no trono.Os templos de Karnak, que constituíam o complexo religioso mais importante do antigo Egito, foram construídos durante os governos dos faraós Amenhotep I e Ramsés II.Esse santuário era unido aos templos de Luxor através de uma longa calçada conhecida como o Passeio das Esfinges.

Agencia Estado,

23 de abril de 2007 | 04h46

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.