Arqueólogos desenterram fóssil de camelo gigante na Síria

Os ossos de um camelo gigante que viveu há aproximadamente 100 mil anos foram desenterrados por arqueólogos no deserto sírio, informou neste domingo um jornal do governo local.Uma equipe de arqueólogos sírios e suíços encontrou o fóssil em Heme, na região de Palmyra, cerca de 250 quilômetros a noroeste de Damasco, informou o jornal estatal Tishrin.Trata-se da primeira descoberta do gênero e poderia ser um indício de que o camelo teria surgido no deserto sírio, comentou Bassam Jammous, diretor-geral do Departamento de Antiguidades e Museus da Síria, em entrevista ao diário.De acordo com ele, os ossos encontrados mostram que os camelos da época tinha aproximadamente o dobro do tamanho dos camelos existentes hoje. A descoberta, ainda segundo Jammous, representaria "uma revolução no mundo das descobertas arqueológicas".Membros da equipe de arqueólogos responsável pela descoberta não foram encontrados neste domingo.

Agencia Estado,

08 de outubro de 2006 | 13h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.