Arteris analisa novas concessões; aguarda definição do governo

A Arteris, uma das maiores concessionárias de rodovias do Brasil, avalia todas as oportunidades de concessão previstas para este ano, mas aguarda o novo edital do governo para tomar uma decisão, disse um executivo da empresa nesta quarta-feira.

ROBERTA VILAS BOAS, Reuters

06 de março de 2013 | 12h54

"A companhia avalia todas essas oportunidades e a princípio posso dizer que a gente tem estudado tudo, e ainda não temos identificado o que é mais interessante para Arteris. A gente tem que esperar o anuncio novo do governo sobre projetos e reavaliar tudo", disse o diretor de relações com investidores Alessandro Scotoni Levy em teleconferência com analistas.

Segundo ele, a análise das oportunidades irá considerar disciplina de capital e retorno para os acionistas.

Questionado se a empresa poderia ter interesse em outras concessões, como aeroportos, após a mudança no bloco de controle, Levy ressaltou que o foco permanecerá em rodovias.

"(A empresa) mantém o foco em rodovia. É uma decisão estratégica dos controladores e a companhia tem analisado todas as oportunidades de rodovias no país. Vamos seguir na mesma estratégia, sempre considerando disciplina de capital e retorno adequado para acionistas", afirmou.

Em dezembro, houve a transferência do controle acionário da empresa para o grupo espanhol Abertis e para o fundo canadense Brookfield, com a empresa alterando seu nome de OHL Brasil para Arteris.

Levy afirmou que uma avaliação interna em curso na empresa pode levar a novos processos operacionais no futuro. "Ao longo dos próximos 2 anos a gente deve ter uma nova visão dos controladores no sentido de operação", disse.

TRÁFEGO

O executivo afirmou também esperar que o aumento do tráfego nas rodovias administradas pela empresa em 2013 fique em linha com a expansão esperada para o Produto Interno Bruto (PIB).

"Nós tivemos em 2012 um PIB próximo a 1 por cento e o nosso tráfego cresceu 4 por cento. Para 2013, nossa tendência é crescer com o PIB. A gente não acredita ser sustentável crescer quatro vezes o PIB todo ano", afirmou Levy.

"O crescimento (do PIB) para 2013, que nós temos dentro do orçamento, é próximo ao consenso que o mercado hoje aponta, próximo de 3 por cento", completou o executivo.

Na véspera, a Arteris anunciou lucro líquido de 106,7 milhões de reais no quarto trimestre de 2012, alta de 1,9 por cento ante igual período de 2011, apoiado na melhora operacional no período. (Por Roberta Vilas Boas; Edição de Aluísio Alves)

Tudo o que sabemos sobre:
TRANSPORTESARTERISCONCESSOES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.