Artilharia

Mutante: "Já critiquei a MTV, mas não guardo ressentimento. Já fiquei amigo de pessoas, inclusive de jornalistas, que falaram muito mal de mim. Pô, às vezes a gente se olha, se ?ressimpatiza?, as coisas são mutáveis." Infância: "Tinha nojo de política. Minha mãe era lacerdista, minha tia, brizolista. Quando criança ficava imitando os candidatos. Com 3, 4 anos, aprendi a falar ?corrupção?. Era a palavra mais difícil que sabia." Política: "Sou uma pessoa política. Faço coisas normais de cidadão; todo mundo deveria ligar para seu deputado e dizer: ?Estou te acompanhando?. Mas para ser político teria que abandonar meu trabalho. Não consigo ser um Gilberto Gil porque acho o cúmulo da cara-de-pau. Não sei como as pessoas deixam isso acontecer. A Cultura do jeito que está e ele se locupletando desse jeito promíscuo e incestuoso. Ele está numa postura ridícula e depois o povo vem dizer que eu sou o polêmico?"

O Estado de S.Paulo

21 Julho 2007 | 04h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.