Artista plástico vai colocar coletes em estátuas na capital

Monumentos como Duque de Caxias, José Bonifácio e Rui Barbosa terão coletes a partir do dia 19

Edison Veiga, de O Estado de S. Paulo,

10 de outubro de 2008 | 11h08

Não fique espantado ao se deparar, a partir do dia 19, com a famosa estátua do Borba Gato usando um alaranjado colete salva-vidas. Não será a única. Rui Barbosa, Duque de Caxias, José Bonifácio e Luís de Camões também receberão a "homenagem". A irreverente iniciativa é mais uma intervenção urbana do artista plástico paulistano Eduardo Srur - que no início do ano colocou 20 garrafas PET gigantes nas margens do Rio Tietê, na zona norte de São Paulo.   Veja também: Galeria de fotos das intervenções de Srur    Intitulada Sobrevivência, a montagem colocará 25 bóias em 16 monumentos. "Quero fazer as pessoas pensarem em resgatar o patrimônio público", explica. "Mas não só isso. Ao mesmo tempo, é preciso salvar a memória e os próprios sentidos de quem passa, anestesiado, pelas ruas." Feitos sob medida - o maior, com 6 metros de altura, é o do Borba Gato -, os coletes são de espuma, alumínio e náilon. Poderão ser vistos até o dia 14 de dezembro. O projeto é bancado pelo Centro Cultural Banco do Brasil.Foram dois anos para que Srur conseguisse pôr a idéia em prática. Em maio de 2007, conseguiu implementar, digamos, uma versão reduzida do projeto. Durante a Virada Cultural, instalou os tais coletes no Monumento a Carlos Gomes, conjunto de obras de Luiz Brizzollara na Praça Ramos de Azevedo. "Para conseguir a autorização de todos os órgãos, precisei mostrar tanto o conceito do projeto quanto a minha pesquisa de arte no espaço público", conta Srur.Depois do aval do Departamento de Patrimônio Histórico (DPH), do Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp) e da Comissão de Proteção à Paisagem Urbana (CPPU), o artista decidiu explicar suas intenções aos herdeiros dos direitos das obras. "Felizmente, não tive nenhum problema", afirma. Pet na Guanabara Esta será a décima intervenção de Srur na cidade. Ele colocou as já citadas garrafas PET no Rio Tietê, equilibrou seis bicicletas em cabos de aço na Avenida Paulista (2007), espalhou bonecos de plástico remando sobre cem caiaques no Rio Pinheiros (2006), colocou uma âncora no Monumento às Bandeiras (2004) e pendurou 35 barracas de camping no "esqueletão" da Doutor Arnaldo (2004), entre outras iniciativas. Se tudo der certo, em breve o Rio ganhará sua versão das garrafas PET gigantes. "Já fiz uma visita técnica e comecei as negociações", antecipa o artista. Elas seriam instaladas na Baía de Guanabara. Aos 34 anos, Srur experimenta um estranho jeito de ser famoso. Muitos paulistanos podem nunca ter ouvido o nome dele. Mas, como transforma a cidade na grande tela para suas obras, é difícil quem já não tenha cruzado por aí com uma delas. Que sempre fazem uma crítica social com uma boa dose de humor.   Monumentos 'protegidos'  Anhangüera, na frente do Parque Trianon, na Avenida Paulista Armando de Salles Oliveira, Praça Reinaldo Porchat Borba Gato, Praça Augusto Tortorello de Araujo  Camões, Praça Dom José Gaspar Cristóforo Colombo, Praça Pan-americana Ibrahim Nobre - O Tributo, Parque do Ibirapuera José Bonifácio de Andrada e Silva, Praça do Patriarca Luiz Pereira Barreto, Praça Marechal Deodoro Monumento a Carlos Gomes, Praça Ramos de Azevedo Monumento à Independência, Parque da Independência Monumento a Ramos de Azevedo, Praça Ramos Monumento ao Duque de Caxias, Praça Princesa Isabel Rui Barbosa, Praça Ramos de Azevedo San Martin, Praça General San Martin Semeador, Praça Apecatu, no Alto de Pinheiros Vitória, na Avenida Santos Dumont

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.