Artistas lamentam morte do ator e diretor Marcos Paulo

Pelo Twitter, vários artistas lamentaram a morte de Marcos Paulo. O ator e diretor morreu na noite deste domingo (11) em casa, no Rio. Ele tinha 61 anos. "Bom ator, boa figura humana, bom amigo. Amou a arte e as mulheres. Deu sentido à vida. E isso é o que importa", escreveu o também ator Paulo Cesar Pereio. "Foi a pessoa com quem mais trabalhei na Globo. O dirigi em ''O Primo Basílio'' e fui dirigido por ele em várias novelas", escreveu José de Abreu. Ele também contou que Marcos Paulo foi um dos responsáveis por sua estreia na TV.

FÁBIO GRELLET E ROBERTA PENNAFORT, Agência Estado

12 de novembro de 2012 | 09h01

O ator Rodrigo Andrade afirmou no microblog que esteve com o ator na noite de sábado (10) e que, até então, estava tudo bem. "Notícia triste demais, acabei de saber que o Marcos Paulo faleceu. Ele ''tava'' normal ontem em Manaus, com a Antonia (...), vi ele falando normal, absolutamente normal... O Brasil e a TV perdem um grande talento!", postou.

"Que perda! Quanta saudade vai deixar, quanta falta vai fazer. Querido, iluminado, coração de ouro, parceiro. Muita dor", registrou Eriberto Leão. "Tive o prazer de trabalhar algumas vezes sob sua direção! Estava me preparando para revê-lo no show da virada", escreveu a cantora Claudia Leitte. "Tão jovem... Me dirigiu em ?Desejo Proibido?! Sentirei saudades! Força, querida Antonia e família!", registrou a atriz Fernanda Paes Leme. "Um homem digno, talentoso, grande pai, avô, marido. Descanse em paz e força para a família", disse Preta Gil.

Marcos Paulo morreu vítima de embolia pulmonar. Ele lutava contra um câncer no esôfago, detectado em maio do ano passado. O ator descobriu a doença durante um exame de rotina e em agosto de 2011 foi submetido a uma cirurgia que se prolongou por dez horas no Hospital São José, em São Paulo. Depois realizou sessões de quimio e radioterapia.

Otimista e tentando não se deixar abater pela doença, ele não gostava de dar entrevistas sobre o assunto e manteve o ritmo de trabalho. Ele concluiu o filme "Assalto ao Banco Central", sua primeira experiência como diretor de cinema, já em meio ao drama do combate ao câncer. O filme estreou em 22 de julho do ano passado. "Não consegui fazer drama em cima disso. Resolvi que não ia ficar me escondendo porque câncer não é uma vergonha. É só mais uma batalha, e não é essa que vai me derrubar", disse, em entrevista à revista Época.

Há três semanas Marcos Paulo havia se submetido a exames que mostraram total remissão do câncer. Foi o quarto exame após a cirurgia e o resultado levou o ator e diretor a concluir que a doença havia sido vencida. Pai de três filhas (Vanessa, com a modelo Tina Serina; Mariana, com Renata Sorrah; e Giulia, com Flávia Alessandra), Marcos Paulo era constantemente fotografado por paparazzi na praia da Barra da Tijuca (zona oeste) caminhando com a mulher, Antonia Fontenelle, e aparentava ter recuperado o peso perdido durante o ano passado, por ocasião do tratamento.

Em uma entrevista recente, ele havia dito que sua vida era "absolutamente normal". Com a mulher, que permanecera ao seu lado durante todo o tratamento, Marcos Paulo trabalhava na produção do que marcaria seu segundo filme como diretor. Segundo ele, "Sequestrados" seria um "thriller policial", com parte de suas cenas gravadas no Amazonas. O elenco teria Lima Duarte, Milhem Cortaz, Fábio Lago, Vinícius de Oliveira e Eriberto Leão. Em setembro ele visitou Manaus e arredores à procura de locações para as filmagens.

Marcos Paulo Simões nasceu em São Paulo, em 1º de março de 1951, e foi criado no bairro do Bexiga, na região central da capital paulista. Filho adotivo do ator e autor de novelas Vicente Sesso, sua primeira novela foi "O morro dos ventos uivantes", da TV Excelsior, em 1967, quando ele tinha apenas 16 anos. Passou ainda pela Record e pela Bandeirantes antes de ir para a TV Globo, em 1970.

Sua estreia na emissora carioca foi na novela "Pigmalião 70", escrita por Sesso. Em seguida trabalhou em "Próxima Atração" (1970), "Minha Doce Namorada" (1971) e "O Primeiro Amor", quando interpretou seu primeiro vilão - Rafa, líder de uma gangue de motociclistas arruaceiros. Em 1978, já consagrado como ator, Marcos Paulo passou cinco meses nos Estados Unidos fazendo um curso de direção. Quando retornou ao Brasil, estreou como diretor na novela "Dancin? Days", de Gilberto Braga, ao lado de Dennis Carvalho e José Carlos Pieri.

Tudo o que sabemos sobre:
Marcos Paulomorterepercussão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.