Aspirina ajuda a combater hiperplasia na próstata

Os analgésicos, entre eles a aspirina,ajudam a evitar a hiperplasia prostática, além de combater as dores provocadas pela artrite e os transtornos cardiovasculares, concluium estudo divulgado pela revista "American Journal of Epidemiology". A hiperplasia prostática, que consiste principalmente numa inflamação permanente da glândula, pode causar transtornosurinários, entre eles a incontinência. Segundo urologistas da Clínica Mayo, os problemas se reduzem em 50% quando o paciente consome regularmente uma dose de analgésicos antiinflamatórios, como a aspirina e o ibuprofen. "A relação entre o consumo de analgésicos e a redução da hiperplasia benigna é fortalecida pelos resultados do estudo", em que 2.447 homens foram examinados, afirma Jenny Sauver,epidemióloga e investigadora da Clínica Mayo. "Não recomendamos aspirinas para todos, mas se alguém já toma regularmente por outras razões, nosso estudo sugere que há outros benefícios", disse. A hiperplasia prostática benigna aumenta com a idade e afeta um em cada quatro homens entre 40 e 50 anos, e quase metade dos que têm entre 70 e 80 anos. "O caso típico de hiperplasia é quando um homem começa a se levantar cinco vezes por noite para urinar e é obrigado pela mulher a consultar um urologista", disse Michael Lieber, um dosPesquisadores. Lieber acrescentou que a freqüência também aumenta durante o dia, "o que piora a qualidade de vida da pessoa". No entanto, o urologista avisa que não se deve recomendar o consumo de analgésicos para evitar a hiperplasia a partir exclusivamente de seu estudo, e recomenda investigações maisProfundas. Ele lembra que os analgésicos podem ter efeitos secundários às vezes graves, como as úlceras estomacais. Lieber também admitiu que os cientistas não sabem com toda certeza de que forma os componentes dos analgésicos atuam paraimpedir o crescimento da próstata. Segundo Sauver, existem duas teorias. Uma especula que o analgésico impede o crescimento da próstata ao favorece a morte das células. A outra hipótese é a redução nas inflamações de todos os órgãos, inclusive a próstata, que atuam na reprodução e na excreção de líquidos.

Agencia Estado,

30 de agosto de 2006 | 03h16

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.