Assaltantes fazem reféns de escudo humano em banco

Em uma ação audaciosa e planejada, três assaltantes fizeram vinte pessoas de escudo humano e explodiram dois caixas eletrônicos no interior do Rio Grande do Sul, nesta madrugada. O assalto ocorreu por volta das 3h, em Lindolfo Collor (55 km de Porto Alegre), no Vale do Sinos.

LUCAS AZEVEDO, Agência Estado

14 Junho 2014 | 13h49

Os assaltantes, armados com um fuzil, uma escopeta e uma pistola, chegaram em uma Eco Sport preta e a estacionaram em frente a um ônibus que transportaria funcionários de um curtume, na avenida Capivara, no centro da cidade. Depois de render o motorista, eles atravessaram o coletivo na via e reuniram os cerca de vinte funcionários da empresa que haviam encerrado o turno de trabalho. Sob as miras das armas, os trabalhadores foram obrigados a dar as mãos e formar um escudo humano em frente ao terminal bancário, que fica nas dependências da indústria.

Enquanto dois comparsas faziam a segurança externa, um terceiro entrou na sala de auto atendimento, instalou explosivos e destruiu os dois caixas eletrônicos. Conforme testemunhas, os assaltantes tentaram acalmar os reféns, dizendo que ninguém se machucaria. Eles fugiram com uma quantia em dinheiro ainda não informada, espalhando pregos pelas ruas para impedir uma perseguição policial. A polícia faz buscas na região.

Mais conteúdo sobre:
assaltobancocaixa eletrônico

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.