Assange sofre problemas pulmonares, diz embaixadora do Equador

O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, está sofrendo de uma doença pulmonar crônica que pode se agravar a qualquer momento e é regularmente examinado por médicos, disse nesta quarta-feira a embaixadora do Equador na Grã-Bretanha.

Reuters

28 de novembro de 2012 | 19h15

Assange, de 41 anos, está refugiado desde junho na embaixada equatoriana em Londres a fim de evitar sua extradição para a Suécia, onde é suspeito de crimes sexuais. Ele pode ser preso se sair do prédio.

"Ele tem uma queixa pulmonar crônica que pode piorar a qualquer momento. O Estado equatoriano está cobrindo os custos médicos do senhor Assange e arranjamos visitas regulares de médicos para verificar sua saúde", disse a embaixadora Ana Albán a uma TV local durante visita a Quito.

No mês passado, o Equador solicitou à Grã-Bretanha um salvo-conduto que permita ao ativista eventualmente ir ao hospital sem ser preso.

O ativista irritou os norte-americanos em 2010 por divulgar milhares de documentos diplomáticos sigilosos. Ele diz que a extradição para a Suécia pode ser apenas um pretexto para que ele seja transferido para os Estados Unidos.

(Reportagem de Eduardo Garcia)

Tudo o que sabemos sobre:
GBASSANGEDOENTE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.