Assassino de Glauco é suspeito de formar quadrilha

Nesta terça, uma vítima disse que reconheceu Cadu como o assaltante que lhe tomou um carro

MARÍLIA ASSUNÇÃO, Estadão Conteúdo

02 Setembro 2014 | 11h28

Em silêncio, o jovem Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, 29, o Cadu, foi apresentado na manhã desta terça-feira, 2, como sendo o homem que aparece nas imagens de um vídeo correndo após atirar na cabeça do agente prisional Vinícius Lemes D''Abadia, 45 anos, no dia 28, numa tentativa de assalto. Vinícius está internado em estado grave. Três dias depois Cadu teria participado do assalto que terminou com a morte do estudante Mateus Pinheiro, de 28 anos.

Nesta terça, uma terceira vítima se apresentou na Delegacia de Investigações de Homicídios e disse que reconheceu Cadu como o assaltante que lhe tomou um carro. A vítima, um homem, estava sendo ouvido. Para o delegado que investiga o caso, Thiago Damaceno Ribeiro, são indícios e testemunhos fortes que apontam para a participação do rapaz em uma quadrilha especializada em roubo de veículos.

O Tribunal de Justiça de Goiás deve se manifestar hoje sobre a situação do rapaz. Ele foi considerado inimputável porque foi diagnosticado com esquizofrenia paranoide e ficou internado pelo prazo previsto em lei. Contudo, Cadu deveria residir com a família em Goiânia e, pelo regime do Programa de Atenção Integral ao Louco Infrator (Paili), que propõe a reinserção social dos infratores com problemas mentais, deveria se apresentar periodicamente para acompanhamento ambulatorial.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.