Astronauta brasileiro parte nesta quarta. Entenda a missão

O tenente coronel Marcos Pontes partirá rumo ao espaço nesta quarta-feira, dia 29, a bordo da Nave Soyuz TMA-8, tripulada também pelo russo Pavel Vinogradov e o norte-americano Jeffrey Williams. O lançamento, marcado para às 23h30 de Brasília, será no Centro de Lançamento de Baikonur, Casaquistão. A Soyuz deve acoplar-se na Estação Espacial Internacional (ISS) na madrugada do dia 1º de abril.A missão de Pontes, 42 anos, foi chamada de "Centenário" em homenagem aos cem anos do vôo de Santos Dumont no primeiro engenho mais pesado que o ar, o 14 Bis, que aconteceu em Paris em 1906. A viagem terá duração de dez dias, dos quais oito serão a bordo da ISS.O astronauta levará ao espaço oito experimentos científicos brasileiros para estudar suas reações em ambiente de microgravidade. Entre eles, dois são de escolas do ensino médio e os outros seis de instituições de pesquisa brasileiras. Os estudantes poderão acompanhar no site da Agência Espacial Brasileira o desenvolvimento de seus experimentos na ISS e comparar os resultados com aqueles obtidos em sala.Durante a sua estadia na estação, Pontes realizará três sessões de videoconferência com a Terra.ColegasOs dois astronautas que viajarão em companhia de Pontes fazem parte da 13ª Expedição da ISS e substituirão a atual tripulação da estação: o astronauta russo Valeri Tokarev e seu colega americano William McArthur Tokarev e McArthur, que estão na ISS desde outubro, retornarão à Terra bordo da Soyuz TMA-7. O astronauta brasileiro voltará à Terra com eles, oito dias depois de sua chegada à ISS.RetornoEquipes médicas estarão de plantão para realizar a operação de resgate dos tripulantes quando a nave retornar à Terra. Devido à descida brusca que sofrerão na última etapa da viagem, os astronautas podem perder a consciência. Assim, os médicos estarão apostos para eventuais problemas.Além disso, os dois tripulantes da ISS podem ter sofrido atrofia dos músculos, entre outros problemas, por terem ficado em um ambiente sem gravidade durante seis meses.Todos eles serão levados a um local de repouso e, mais tarde, para a base no Casaquistão.

Agencia Estado,

28 de março de 2006 | 17h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.