Ataque suicida mata pelo menos 40 no Paquistão

Atentado ocorreu durante reunião de governo com autoridades locais.

Da BBC Brasil, BBC

02 de março de 2008 | 15h50

Pelo menos 40 pessoas foram mortas em um ataque suicida na região de Dara Adam Khel, no norte do Paquistão, a 40 quilômetros de Peshawar.O ataque atingiu uma reunião de autoridades do governo com autoridades tribais locais, que estavam discutindo justamente a crescente militância na região.A reunião tinha sido organizada pelo conselho tribal local com as autoridades do governo paquistanês para discutir formas de enfrentar militantes partidários do Talebã e pacificar a região.Uma testemunha afirmou que um jovem de 20 anos entrou no local da reunião e, segundos depois, a testemunha viu uma grande chama e ouviu o barulho da explosão.Logo em seguida o local, onde cerca de cem pessoas estavam reunidas, estava coberto de corpos.Combate aos militantesDesde o início de 2007, o Paquistão tem enfrentado uma onda de atentados suicidas atribuídos a simpatizantes da milícia Talebã que ocupam regiões tribais na fronteira com o Afeganistão, onde têm travado combates com o Exército paquistanês.Na reunião deste domingo, segundo um dos delegados participantes, as autoridades discutiam como as forças de segurança do governo do Paquistão poderiam deixar a região e as forças locais poderiam assumir a responsabilidade pela segurança.Segundo o correspondente da BBC em Islamabad Shoaib Hasan, o governo tenta convencer os líderes tribais locais a negociarem para que os militantes aceitem as autoridades locais.Esta tática já foi usada no passado em outras áreas tribais instáveis do Paquistão. Mas a estratégia já falhou muitas vezes e militantes, algumas vezes até a Al-Qaeda, atacaram outras reuniões como a deste de domingo.Na sexta-feira um outro ataque suicida matou 30 pessoas na cidade de Mingora, no noroeste do Paquistão.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
paquistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.