Ataques israelenses matam três palestinos em Gaza

Uma aeronave israelense matou três palestinos neste domingo, incluindo um garoto de 12 anos, disseram fontes médicas, enquanto militantes disparam foguetes contra Israel pelo terceiro dia consecutivo.

NIDAL AL-MUGHRABI, REUTERS

11 Março 2012 | 11h24

A violência seguiu um padrão familiar em que os dois lados engajam-se em numerosos ataques ao longo da fronteira com a Faixa de Gaza, controlada pelo Hamas. O banho de sangue normalmente termina após alguns dias de trégua informal.

O ministro da Defesa Ehud Barak previu, em um comunicado, que seriam necessários mais alguns dias até que a violência acabe.

"Estamos no auge deste round (de violência)", disse o primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu a seu gabinete neste domingo.

Autoridades médicas palestinas disseram neste domingo que os ataques aéreos mataram um guarda civil numa fazenda e um militante, além do menino de 12 anos de idade.

Um porta-voz militar israelense afirmou que o exército investiga relatos sobre a morte do menino.

Um outro comunicado militar afirmou que o ataque tinha como alvo um esquadrão terrorista que estaria nos estágios finais da preparação de foguetes contra Israel, que seriam lançados do norte da Faixa de Gaza.

A violência explodiu na sexta-feira, quando um ataque aéreo israelense matou dois líderes militantes da Palestina em Gaza. Uma salva de foguetes foi disparada, deixando seis pessoas feridas.

Cerca de 30 foguetes foram interceptados e destruídos pelo sistema antimíssil israelense, disse o Exército, que estima que mais de 100 deles foram lançados ao sul de Israel desde sexta-feira.

Os ataques têm perturbado a vida normal no sul de Israel, forçando muitas escola a fechar. Aeronaves israelenses continuam com ataques aéreos na Faia de Gaza, matando pelo menos 16 pessoas desde a sexta-feira.

(Reportagem adicional de Edmund Blair, no Cairo; Texto de Maayan Lubell)

Mais conteúdo sobre:
GAZA ISRAEL ATAQUES*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.