Ataques liderados por EUA mataram 553 na Síria, 32 civis, diz grupo

Ataques liderados por EUA mataram 553 na Síria, 32 civis, diz grupo

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que a maioria dos mortos, 464, era de combatentes do Estado islâmico

REUTERS

23 de outubro de 2014 | 07h13

Os ataques aéreos das forças lideradas pelos EUA mataram 553 pessoas, incluindo 32 civis, durante uma campanha de um mês na Síria contra os militantes do Estado Islâmico, segundo afirmou um grupo de monitoramento do conflito na Síria nesta quinta-feira.

O Observatório Sírio para os Direitos Humanos disse que a maioria dos mortos, 464, era de combatentes do Estado islâmico. Seis dos civis eram crianças e cinco, mulheres, afirmou o Observatório.

O grupo de monitoramento observou ainda que 57 membros da Frente Nusra, ligada à rede Al Qaeda, também foram mortos nos ataques aéreos, que começaram há um mês.

Os bombardeios atingiram as províncias de Aleppo, Deir al-Zor, Idlib, Raqqa e al-Hassakah, de acordo com o grupo.

(Reportagem de Oliver Holmes)

Mais conteúdo sobre:
SIRIABOMBARDEIOSEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.