Atenção à conectividade do portátil

Escolha de equipamento está ligada diretamente à forma que cada usuário irá acessar à internet; veja as opções

MARILU ARAUJO,

16 Junho 2008 | 00h00

Notebook precisa de conexão com o mundo. Do contrário, ele pode acabar virando um peso de papel caro. O laptop deve contar com meios para se conectar às redes das empresas, à internet e aos periféricos. Para cumprir a tarefa, os meios mais comuns e essenciais são: Ethernet, Bluetooth, Wi-Fi e modems, placas e celulares 3G. A mais antiga e popular de todas a conexão Ethernet usa cabo com um conector ligeiramente maior (o de padrão RJ-45) do que aquele presente em cabos de telefones fixos (padrão RJ-11). A conexão Ethernet ainda é muito usada em redes corporativas e na conexão doméstica de banda larga via ADSL (Speedy e Velox). Quase todos os laptops contam com esse meio de conexão. A exceção fica com o MacBook Air, da Apple. O Bluetooth é um protocolo de comunicação sem fio de curta distância. Dependendo da classe, ele é capaz de trocar dados com dispositivos em um raio de, no máximo, cem metros. Está presente em celulares, smartphones e periféricos, como impressoras, fones de ouvido, entre outros. Geralmente, o Bluetooth é empregado para transferir dados da memória do celular para o laptop e vice-versa, mas uma de suas aplicações mais úteis é quando precisamos usar telefone celular como modem para ter acesso à internet em notebooks. Famoso por conta do logotipo preto-e-branco estampado em cafés, restaurantes, hotéis, shoppings centers e salas de aeroportos, o Wi-Fi é um protocolo de rede sem fio que oferece acesso a redes conectadas à internet. Esse é o modo de conexão mais usado por donos de notebooks que vivem em trânsito e por aqueles que desejam ter uma rede doméstica livre do emaranhado de cabos e com acesso à internet de qualquer canto da casa. Modelos ultraportáteis devem já vir de fábrica com Wi-Fi, como é o caso do Lenovo ThinkPad X300, do Sony Vaio VGN-TZ35 e do Itautec N8320. Locais públicos que dispõem de acesso sem fio à web são conhecidos como hot spots. Para usar o serviço, é preciso ter um notebook equipado com placa de acesso sem fio à web. O passo seguinte é verificar o menu de configurações e selecionar a opção "Conexões de rede" para que o portátil rastreie as redes sem fio da área. O nome varia de um sistema operacional para outro, mas o procedimento de localização de redes Wi-Fi é praticamente o mesmo. Nas grandes cidades brasileiras, é comum encontrar hot spots, mas nem sempre o acesso à internet é gratuito. Muitos locais oferecem apenas o ponto de acesso e, nesse caso, o usuário precisa ser assinante de serviço de acesso sem fio à internet e de um provedor para usar a infra-estrutura. No caso de locais com acesso grátis, mas com redes protegidas, algo comum em cafés e restaurantes, é necessário obter o login e a senha de acesso com um atendente do estabelecimento. Em hot spots cujo acesso é gratuito e a rede não é protegida, basta rastrear o sinal e sair usando. Uma vez conectado, o laptop passa a ter acesso a todos os recursos dessa rede, como impressoras e servidores. Por isso, quem tem rede Wi-Fi em casa deve tratar de protegê-la com login e senha para garantir a segurança e a privacidade. Lembre-se de que o sinal Wi-Fi vai além dos limites de paredes e muros. Confira a lista de provedores que oferecem o serviço e os preços na página http://tinyurl.com/6fa9hb. Já os recém-lançados modems e celulares 3G dependem da rede de telefonia móvel para garantir o acesso à web de banda larga. Para usar o serviço, é preciso ter um dos quatro dispositivos que permitem o acesso: um modem 3G USB, um celular 3G, uma placa PCMCIA ou uma placa Express Card. Os pequenos modems 3G são pequenos, práticos e conectam-se facilmente aos notebooks por meio de uma saída USB. Os celulares podem usar cabos USB ou comunicação sem fio por Bluetooth. No caso das placas PCMCIA e Express Card, é preciso verificar se o laptop conta com uma entrada compatível com elas. Dependendo da operadora contratada, a velocidade de acesso à internet pode chegar a 1 megabit por segundo (Mbps). Antes de assinar o serviço, verifique com as operadoras de telefonia celular se a sua região é coberta pela rede 3G. A velocidade de transmissão pode variar por causa do número de acessos simultâneos ao serviço em determinada área, por condições meteorológicas e regiões de sombra de cobertura, entre outros fatores. Em São Paulo, as operadoras Claro, Vivo e Tim oferecem esse serviço por meio de pacotes mensais. A mensalidade de um pacote de acesso 3G ilimitado com velocidade de 1 Mbps custa, em média, 99 reais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.