Atentado suicida mata pelo menos 15 na Argélia

Mais de 75 ficaram feridos em explosão em local onde presidente era aguardado.

BBC Brasil, BBC

07 de setembro de 2007 | 03h05

Pelo menos 15 pessoas morreram e mais de 75 ficaram feridas nesta quinta-feira em um atentado suicida na Argélia.A bomba explodiu na cidade de Batna, a cerca de 450 quilômetros a leste da capital, Argel, em meio a uma multidão que aguardava a chegada do presidente do país, Abdelaziz Bouteflika, que visitaria o local.Até agora, nenhum grupo reivindicou a autoria do ataque. No entanto, Bouteflika acusou militantes islâmicos de tentar atrapalhar sua política de reconciliação nacional.O governo tenta pôr fim a 15 anos de confrontos entre o Exército e grupos separatistas que buscam a criação de um Estado islâmico."Atos terroristas não têm absolutamente nada em comum com os nobres valores do Islã", disse o presidente, segundo a agência de notícias oficial APS.Ao ser informado sobre o atentado, Bouteflika foi a um hospital local visitar alguns dos feridos.A violência entre governo e grupos islâmicos na Argélia começou em 1992. Naquele ano, as eleições gerais, nas quais um partido islâmico havia sido o vencedor, foram anuladas. O conflito resultou em uma guerra civil sangrenta, na qual mais de 150 mil pessoas morreram.A insegurança tem aumentado nos últimos meses, tanto na Argélia quanto em outros países do norte da África, desde que o antigo Grupo Salafista para a Pregação e o Combate (GSPC) mudou seu nome para Al-Qaeda no Magreb Islâmico e retornou à ativa, no início deste ano.Em abril, o Al-Qaeda no Magreb Islâmico reivindicou a autoria de dois ataques a bomba que mataram mais de 20 pessoas em Argel. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Tudo o que sabemos sobre:
argéliabouteflikaterror

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.