Atingido por foguetes, Israel mata mais quatro homens armados

Isarel matou quatro militantes em Gaza neste sábado, num momento de escalada da violência desencadeada pela morte de um líder militante um dia antes, quando homens armados atiraram mais de 90 foguetes em Israel, machucando quatro pessoas, informaram autoridades israelenses e palestinas.

NIDAL AL-MUGHRABI, REUTERS

10 Março 2012 | 10h52

Ataques aéreos lançados na sexta-feira mataram 14 militantes, disseram médicos do Hamas. No último ataque, um homem armado foi morto numa motocicleta. Outro foi seriamente ferido e morreu pouco depois em decorrência dos ferimentos, segundo médicos.

Dois outros militantes da Jihad Islâmica foram mortos em ataques na madrugada deste sábado, afirmaram autoridades em Gaza.

Nabil Abu Rdainah, porta-voz do presidente palestino, Mahmoud Abbas, culpou Israel pela violência e pediu uma intervenção ocidental para tentar deter qualquer nova escalada que possa complicar as tensões ao longo da fronteira entre Israel e Gaza e na fronteira comum com o Egito.

Depois de semanas de relativa calma, a violência ao longo da fronteira entre Israel e Gaza voltou a aumentar na sexta, quando Israel explodiu um carro na cidade de Gaza, matando dois líderes militantes.

Israel afirmou que um dos militantes mortos na sexta estava envolvido com grupo que planejava um ataque partindo do Egito. A mídia israelense informou que ele também estaria envolvido, em 2006, na captura do soldado israelense Gilad Shalit, libertado numa troca de prisioneiros em outubro.

(Reportagem adicional de Allyn Fisher-Ilan)

Mais conteúdo sobre:
ISRAELGAZAATAQUE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.