Atingidos pelas chuvas poderão sacar FGTS a partir desta sexta

Ministro vai solicitar à Dilma publicação de um decreto reajustando limite para R$ 5.400

Eduardo Rodrigues, Agência Estado

13 de janeiro de 2011 | 12h15

Os trabalhadores que vivem nas áreas afetadas pelas fortes chuvas poderão sacar a partir de amanhã até R$ 4.650 do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, no entanto, vai solicitar à presidente Dilma Rousseff a publicação de um decreto reajustando o limite para R$ 5.400, equivalentes a dez salários mínimos.

 

Veja também:

linkRegião Serrana tem quase 400 mortes por chuvas

linkExcesso de corpos deixa IML de Teresópolis em colapso

linkMinistério libera 7 toneladas de remédios

linkTragédia vira ganha destaque no exterior

linkEspecialista: Mudança climática não pode ser desculpa

linkForça Nacional envia 225 homens à região; Rio, outros 400

linkRio pede doação de sangue para vítimas das chuvas

mais imagens Imagens da tragédia no Rio

Segundo Lupi, a Caixa Econômica Federal já está preparada para atender a demanda dos trabalhadores de todos os municípios que já tenham decretado estado de calamidade pública e tenham sido reconhecidos pelo Ministério da Integração Nacional.

 

O ministro não soube informar quantas cidades já estão aptas a receber o benefício. "Infelizmente são medidas rotineiras em momentos de crise por catástrofes naturais. Fizemos o mesmo quando ocorreram em Santa Catarina", disse Lupi.

Além disso, o ministro afirmou que tomará ainda hoje decisão ad referendum (a ser referendada) pelo conselho curador do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) para conceder até duas prestações adicionais do seguro desemprego para os moradores das áreas afetadas. Normalmente são pagas de três a cinco parcelas.

 

A medida ainda depende de um cruzamento de dados que está sendo realizado pela equipe técnica do fundo.

Tudo o que sabemos sobre:
chuvaRJFGTSliberação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.