Atirador da Noruega é acusado de terrorismo e assassinato

O homem anti-islâmico que chocou a Noruega no ano passado com um ataque a bomba e um massacre a tiros foi formalmente acusado nesta quarta-feira de terrorismo e assassinato premeditado de 77 pessoas, no momento em que as autoridades se preparam para o início do julgamento no próximo mês.

WALTER GIBBS, REUTERS

07 Março 2012 | 11h25

Os promotores disseram que inicialmente buscariam uma sentença de tratamento psiquiátrico para o assassino confesso, mas podem pedir 21 anos de prisão -o máximo na Noruega- se um diagnóstico inicial de psicose for contrariado num segundo exame.

Anders Behring Breivik, de 33 anos, confessou ter sido responsável pelo ataque a bomba em julho, que matou oito pessoas na sede do governo em Oslo, e pelo massacre a tiros algumas horas depois, que matou 69 pessoas num acampamento de verão do Partido Trabalhista.

Seus alvos eram "traidores" com atitudes favoráveis a imigrantes, disse ele em uma audiência preliminar.

Houve especulações de que Breivik poderia ser acusado de crimes contra a humanidade, com uma sentença máxima de 30 anos, mas especialistas legais disseram que a lei na Noruega se aplica a atrocidades sistemáticas e generalizadas, e não aos atos de um indivíduo.

Embora a pena máxima de prisão convencional para assassinato na Noruega seja de 21 anos, os tribunais estão autorizados a prolongar a custódia indefinidamente se um presidiário violento e são for considerado com probabilidade de repetir seus crimes.

Mais conteúdo sobre:
NORUEGA BREIVIK ACUSADO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.