Atividade humana acelera extinção de pássaros

A atividade humana levou à extinção de 500 espécies de pássaros ao longo dos últimos 500 anos, e as taxas de extinção no século 21 provavelmente serão aceleradas para até 10 espécies a mais ao ano, informa um novo relatório. Sem a influência humana, a extinção entre os pássaros seria de cerca de uma espécie ao século, de acordo com Stuart Pimm, da Escola de Ciências da Terra e Ambientais da Universidade Duke, um dos principais autores do trabalho."Pela primeira vez, temos uma estimativa justificada e cuidadosa da aceleração do ritmo de extinção dos pássaros com o início da alteração do ambiente pelos humanos", diz o cientista. O relatório será publicado na edição online do periódico Proceedings of the National Academy of Sciences.Os pesquisadores calculam que, desde 1500 - o início do período no qual europeus passaram a explorar e colonizar grandes partes do globo - pássaros vêm desaparecendo à taxa de uma espécie ao ano, ou 100 vezes mais depressa do que o ritmo natural. E a taxa acelerou-se entre os séculos 19 e 20. A principal causa das extinções é a destruição de hábitats.Não que a culpa seja só dos europeus: segundo o estudo, a exploração do mundo pela Europa levou a taxas globais de extinção semelhantes às que já haviam sido atingidas pela expansão dos povos da Ásia pela Polinésia e o Pacífico.A nova avaliação excede de forma considerável as estimativas anteriores, de que 154 tipos de pássaros teriam desaparecido nos últimos 500 anos. Um fator que contribui para a diferença nas estimativas é, segundo os autores, o fato de que mais da metade das espécies de pássaros conhecidas não havia sido descoberta até 1850. Segundo Pimm, até 1815 apenas 5% dos pássaros do mundo eram conhecidos. Mas nem tudo são más notícias: o relatório indica que "graças a esforços de preservação, a taxa de extinção caiu para uma espécie a cada três ou quatro anos", de acordo com Pimm, acrescentando, no entanto, que mesmo esse ritmo ainda é "inaceitável".

Agencia Estado,

05 de julho de 2006 | 14h15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.