Ativistas dizem que forças sírias mataram 31 no domingo

Pelo menos 31 pessoas foram mortas no domingo em incidentes na Síria, incluindo um confronto entre supostos desertores do Exército e tropas leais ao presidente Bashar al Assad, disse um grupo de ativistas nesta segunda-feira.

REUTERS

10 de outubro de 2011 | 08h54

De acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos, entre os mortos há 14 civis e 17 membros das forças de segurança.

Segundo a ONU, 2.900 pessoas já foram mortas em mais de seis meses de repressão do regime de Assad contra as manifestações pró-democracia.

As manifestações têm sido geralmente pacíficas, mas há crescentes relatos de recrutas sírios desertando e apontando suas armas contra as forças do governo, dominadas pela seita muçulmana alauíta, a mesma de Assad.

O Observatório, com sede na Grã-Bretanha, disse que os supostos desertores mataram oito soldados em ataques simultâneos contra três pontos do Exército na província de Iblid (norte).

Em Homs, sete civis foram assassinados a tiros, e outros oito foram mortos mais tarde em confrontos entre militares e supostos desertores.

Uma entidade síria, os Comitês de Coordenação Local, disse em nota nesta segunda-feira que confirmou os nomes de 253 pessoas mortas em Homs entre o começo de setembro e os nove primeiros dias de outubro.

(Reportagem de Dominic Evans)

Mais conteúdo sobre:
SIRIAMORTESATIVISTAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.